segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

REFLEXÃO SOBRE 2014


 2014, um ano em que nada ocorreu como o planejado, um ano que me surpreendeu, muitas vezes negativamente. Esse ano chega ao fim e devo dizer que saio dele como se tirasse um peso dos ombros. Foi um ano de muitas lições, de muito aprendizado, de muito crescimento. Em 2014 me perdi de mim mesma e me encontrei, descobri que nem todas as palavras ditas são ditas de coração, mas que aquelas ditas de coração, nos dão uma força imensurável para continuar. Aprendi que algumas pessoas não ficam na nossa vida para sempre, mas que marcam e deixam um pouco de si conosco, com experiências boas ou ruins. 

Entendi que aquelas pessoas que sobram, são poucas, mas são nosso porto seguro, nossa força, às vezes são aquelas que nos dão um tapa na cara quando necessário, são as que valem a pena. Parece um pouco com aquela tão falada “crise dos 20 anos”, mas percebo que mudei gostos, minhas opiniões tornaram-se mais fortes, evoluí. Errei, errei muito. Derramei muitas lágrimas e vi que os momentos passam rápido, que o tempo é cruel e que cada segundo deve ser aproveitado, que a responsabilidade está batendo na minha porta e que devo aprender com ela. Não posso dizer que não devo amadurecer mais, ou crescer mais, porque seria um grande equivoco de minha parte, mas 2014 me fez outra pessoa, me fez enxergar perspectivas diferentes, observar mais atentamente o que ocorre ao meu redor. 

E o meu desejo para 2015, aproveitando que estamos nos últimos dias desse ano, é que todo esse aprendizado de 2014 seja bem utilizado, que eu aproveite tudo de maravilhoso que a vida tem para me oferecer, que eu olhe as adversidades com a leveza da menina que estou deixando e com a maturidade da mulher que estou me tornando. Desejo que minhas expectativas sejam concretizadas, mas não desejo que seja da forma que imaginei, quero aprender, mais e mais. Desejo que eu reúna todos os sentimentos ruins e transforme em força de vontade para correr atrás dos meus objetivos e que os sentimentos bons sejam compartilhados com todos aqueles que eu amo.  Termino esse ano, feliz por todos os acontecimentos, agradecida por todas as pessoas maravilhosas que tenho ao meu redor e principalmente, renovada para começar 2015!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Metas 2015


Bom, já que estamos finalizando 2014 e a maioria das pessoas se prepara fazendo suas metas para 2015, resolvi postar as minhas aqui, além de um desafio literário ao qual me propus em 2014, mas não consegui cumpri-lo, portanto vou tentar novamente em 2015. Paralelo aos livros que eu comprar ou ganhar, vou ler os clássicos da literatura mundial. Então segue a minha lista de metas e a lista dos livros clássicos:

1. Ser mais saudável: Essa é uma meta que eu me imponho todos os anos e nunca cumpro, mas esse ano vamos rezar para todos os santos e eu vou cumprir.
2. Ler no mínimo 70 livros: Esse ano foi uma bagunça, acabei não lendo muito, então pretendo ler 70 em 2015.
3. Ser mais organizada: Aquela história de na minha bagunça eu me acho tem que acabar.
4. Gastar menos: Eu sou muito consumista, tenho que controlar meu dinheiro e juntar mais.
5. Ser mais paciente: Esse vai ser o meu grande desafio de 2015, já fui uma pessoa mais paciente, mas ultimamente tenho sido completamente ansiosa e isso acaba atrapalhando.
6. Ser fluente em inglês: Meu inglês é razoavelmente bom, mas esse ano pretendo chegar a fluência.
7. Cumprir pelo menos uma das 6 metas acima hahaha



Desafio Literário


Literatura Greco- Romana:
Illiada - Homero
Odisséia - Homero

Literatura Francesa:
O corcunda de Notre Dame - Victor Hugo
Os miseráveis - Victor Hugo
O pequeno príncipe - Antoine de Saint-Exupéry
Os três Mosqueteiros - Alexandre Dumas (pai)
Madame Bovary - Gustavo Flaubert

Literatura Russa:
Crime e Castigo - Fiodor Dostoieviski
Ana Karerina - Liev Tostoi

Literatura Inglesa e Americana:
Entrevista com o vampiro - Anne Rice
Ulisses - James Joyce
O Retrato de Dorian Gray  - Oscar Wilde
O grande Gatsby - F Scott Fitzgerald
As aventuras de Tom Sayer - Mark Twain
Moby Dick - Herman Melville
Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley
Orgulho e Preconceito - Jane Austen
1984 - George Orwell
A Revolução dos Bichos - George Orwell
O Apanhador no Campo de Centeio - J. D. Salinger
Laranja Mecânica - Anthony Burgess
Hamlet - Shakeaspeare
Otelo - Shakeaspeare
Tempestade - Shakeaspeare
O morro dos ventos uivantes - Emily Bronte
Alice no País das Maravilhas - Lewis Carroll
O Mágico de Oz - L. Frank Baum
Os contos dos irmãos Grimm - Irmãos Grimm
Contos Extraordinários - Edgar Allan Poe


Literatura Portuguesa:
Auto da Barca do Inferno - Gil Vicente
Os Lusíadas - Camões



quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Resenha: Willow - Julia Hoban



Título Original: Willow
Autor: Julia Hoban
 
Editora: Leya
Páginas: 366
Gênero: Ficção/Romance
País: EUA
Onde comprar: Saraiva

Chocante. Doloroso. Duas palavras que podem descrever a imersão nessa história tão comovente que Julia Hoban criou. Willow fala sobre um tema muito discutido, porém pouco compreendido, a automutilação. O livro traz uma imensa diversidade de sentimentos, além de ser completamente diferente de qualquer coisa que eu tenha lido.



A protagonista é Willow, uma jovem de 17 anos que perdeu os pais em um acidente de carro numa noite chuvosa. Já não bastasse esse fato trágico, era Willow que dirigia. Willow passa a morar com o seu irmão David, sua mulher Cathy e a filhinha deles, Isabelle. Após a morte dos pais, a garota sente-se ignorada pelo irmão e acredita que isso se deve ao fato de que ela dirigia. A partir daí Willow se rende ao que costuma chamar de "mundo seguro", ela corta-se com giletes, a dor física para esquecer a emocional. Até que um garoto aparece em sua vida e descobre seu segredo.

O livro traz vários questionamentos, sobre perda, sobre dor e sobre a luta interna de Willow. Guy, o garoto que descobre seu segredo, é o melhor personagem o livro, com certeza.


 "- Acabo de entender porque alguém quis fazer o primeiro espelho!
Willow piscou surpresa. Isso sem dúvida não era o que ela estava esperando. - Por quê? 
- Eu acho que um homem apaixonado desejava que sua amada soubesse como ela era para ele. Queria que ela fosse capaz de se ver tal e como ele a via". - pág 301

A leitura é rápida, sem muita enrolação, acabei em apenas um dia. O mais interessante nessa história foi descobrir como se sente e o que pensa uma pessoa que pratica automutilação, quais as motivação para tal prática. A explicação desses sentimentos de Willow torna-se tão vívida e tão íntima que nos sentimos intrusos em sua vida, quase envergonhados por presenciar os acontecimentos.
CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente.

Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo.Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Resenha: Circo da Noite - Erin Morgenstein

                                                           Título Original: The Night Circus
Autor: Erin Morgenstern
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Gênero: Ficção Fantástica, Romance
País: EUA
Onde comprar: Saraiva, Submarino

O circo chega sem aviso. Abre ao cair da noite, fecha ao amanhecer. Faltam-me palavras pra descrever O Circo da Noite, mas com certeza entrou para a minha lista de favoritos. Infelizmente, sinto que esse não é um livro que vá agradar a todos por sua excentricidade. As opiniões diferem bastante quando falamos dele, alguns vão amá-lo e outros odiá-lo. Eu amei. Obrigada mais uma vez à linda da Mari Siqueira do Love Lovers, por ter me dado esse presente,  love you.
" Os portões de ferro estremecem e se destrancam, como que por vontade própria, Abrem-se para fora, convidando a multidão a adentrar. Agora o circo está aberto. Agora você pode entrar" - Pág 9

Os personagens são bem descritos, aliás a história em si, é tão descritiva que muitas vezes me senti visitando as tendas. É uma história tão original, Erin conseguiu criar um universo cheio de sensações e acho que esse era mesmo o objetivo, nos fazer sonhar. Houveram algumas comparações do Circo da Noite com Harry Potter, mas são história completamente distintas, JK e Erin criaram universos maravilhosos, entretanto a única ligação que senti entre eles, é que ambos me fizeram perder a hora e me sentir dentro da história.

Próspero é um ilusionista, que disfarça sua real magia para se apresentar em grandes teatros. Ele tem uma filha, Célia, que perdeu a mãe recentemente e é claro, herdou os poderes do pai. Alexander é o misterioso homem de terno cinza, velho amigo de Próspero. Os dois devem treinar dois jovens para um duelo, uma espécie de jogo, não há regras, apenas um poderá vencer. Célia e Marcos são treinados por toda sua infância para o desafio que será travado, o duelo que mostrará qual dos dois é o melhor.

"As pessoas veem o que querem ver. E, na maioria das vezes, o que dizem para elas verem".

Le Cirque des Revês, o Circo dos Sonhos, é o palco para esse duelo. No entanto, Célia e Marcos acabam se apaixonando. Intercalados a esta história temos os outros personagens do circo, cada um contribuindo a sua maneira para a construção desse enredo encantador.O Circo em si, acaba por ser o protagonista desta história, ele tem vida própria, com suas tendas em listras preto e brancas que guardam atrações além da imaginação. 

"Enquanto ela desabotoa botão após botão, Marco tateia cegamente os laços e colchetes, recusando-se a afastar os lábios dos dela. O traje meticulosamente elaborado cai num amontoado em volta dos pés dela. Amarrando os laços soltos do espartilho de Celia ao redor do próprio punho, Marco a puxa para o chão junto com ele. Os dois continuam a remover camada após camada até nada mais separar seus corpos" - Página 281.

A leitura é lenta, mas não por ser um livro chato, é o ritmo do Circo, detalhado, mágico. Os capítulos pulam de época, um fator que pode atrapalhar a compreensão dos desatentos, mas que vai se tornando habitual conforme a leitura vai seguindo. E a cada começo de capítulo temos uma descrição das tendas em si, que nos fazem ter as mais diversas sensações. Sejam bem-vindos ao Le Cirque des Rêves, e lembrem-se, o circo chega sem aviso, bons rêves.
CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar.
Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Célia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá.


À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Célia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam.

Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

sábado, 29 de novembro de 2014

Evento: Amigo Secreto Literário

Olá!
Quem não gosta de participar de um amigo secreto?
Aquele mistério todo em torno de quem tirou quem, a expectativa, ansiedade... Eu adoro!
E por isso, o Grupo Blogueiros Que Retribuem resolveu fazer seu próprio amigo secreto. E o resultado não poderia ser melhor, muita maluquice e interação. :)




sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Resenha: A Escolha - Kiera Cass (A Seleção #3)


Título Original: The OneAutor: Kiera Cass 
Editora: Seguinte
Páginas: 351
Gênero: Ficção
País: EUA
Onde comprar: SubmarinoSaraiva

Finalmente, a decisão que todos estávamos esperando. Em A Escolha finalmente o leitor descobre quem America escolherá, porém esse não é o foco principal desse livro da trilogia. Nesse volume, Kiera se atentou às questões políticas da estória, tudo que faltou em A Elite, você encontra em A Escolha.Quanto ao triângulo amoroso, em A Elite, percebemos uma inclinação de America a ficar com Maxon. Agora Maxon que se encontra em dúvida. Será que America realmente o ama? Realmente quer ser sua princesa e posteriormente rainha? Essa duvida consome o livro, até o último segundo.

"Sei que as coisas nem sempre acontecerão como desejamos e que precisaremos nos esforçar para nunca esquecer os motivos de nossa escolha" - pág 347

Com as outras selecionadas tendo um destaque maior, America sente-se insegura sobre o que Maxon realmente quer. E como nos outros livros, America e Maxon são só dúvidas. Não que isso seja negativo, mas algumas vezes tive vontade de entrar no livro e dar umas sacudidas nos dois ou uns tapas na cara, quanta indecisão.

Em A Escolha, também acabamos conhecendo melhor as nossas últimas selecionadas, que me surpreenderam positivamente, principalmente a nossa amada (ou não), Celeste. A rainha Amberly ganha uma melhor descrição, foi bom conhecê-la um pouco melhor, tanto para nós leitores, como para America.  

" Eu o amava. Era incapaz de apontar precisamente o motivo de tanta certeza, mas soube na hora, com a mesma certeza com que sabia meu nome ou a cor do céu ou qualquer coisa escrita em um livro". - pág 95

Infelizmente, ainda achei que ficaram algumas pontas soltas em relação aos aspectos distópicos da trilogia. Gostaria que os personagens rebeldes nortistas fossem melhor explorados, que a tão esperada revolução de Ilhéa tivesse uma atenção maior. É claro que amamos o nosso triângulo amoroso, que nesse livro ficou mais para quarteto já que Maxon resolveu dar uma de America, mas como disse na resenha anterior, os pontos políticos da série foram os que mais me chamaram atenção e poderiam ser melhor explorados.

No geral, A Escolha para mim foi o melhor livro da trilogia, foi divulgada a capa do próximo livro, que aparentemente deixou de ser uma trilogia. Espero que a revolução de Ilhéa seja melhor apresentada nesse volume. Mesmo com alguns pontos e elos fracos, achei que o final foi satisfatório e a escrita de Kiera é tão envolvente que qualquer ponto negativo fica ofuscado.
CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante ... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada. 

domingo, 16 de novembro de 2014

Resenha: Contos da Seleção: O Príncipe e o Guarda - Kiera Cass

Título Original: The Selection Stories: The Prince and The Guard
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 257
Gênero: Ficção
País: EUA
Onde comprar: SaraivaSubmarino
Contos em formato digital: O PríncipeO Guarda





Assim que lançou A Seleção, Kiera Cass disponibilizou gratuitamente, em formato digital, um spin-off da série intitulado O Príncipe. Posteriormente, logo após o lançamento de A Elite foi disponibilizado O Guarda. As versões digitais foram tão bem aceitas, que Kiera resolveu lançados em livro físico também. Ai surgiram os Contos da Seleção, que conta com os dois contos, O Príncipe e O Guarda, além de três capítulos de A escolha, terceiro livro da série.

Em O Príncipe, temos uma perspectiva melhor do palácio, do rei e da rainha e da monarquia em si, pela visão de Maxon. É interessante ver o que aconteceu antes da Seleção, os medos e inseguranças de Maxon quanto ao evento e a primeira impressão dele ao conhecer America. Os aspectos políticos por trás da Seleção também ficam claros nesse conto. A história me fez ser ainda mais Team Maxon. Foram lançados mais dois capítulos nessa versão impressa que não haviam sido lançados na versão digital.

"Porém, a garota antes de America estava tão longe de servir para mim que acabou por apagar essas boas impressões. Quando America se levantou e veio na minha direção, era a única pessoa que eu tinha em mente". - Pág. 69

Em O Guarda temos o ponto de vista de Aspen em relação aos eventos de A Elite. Segredos do castelo, que só um soldado poderia descobrir, são revelados. Segredos que nem o próprio Maxon poderia saber, são pontos que puxam um gancho para o próximo livro da série. Depois de ler O Guarda ficou mais claro para mim o porquê da indecisão de America em A Elite. podemos observar a importância de Aspen para a trama. 

"Se America não seria minha, então ele deveria tratá-la como uma princesa! Até então, Maxon falhara catastroficamente". - Pág. 122

No final do livro, depois dos três capítulos de A Escolha, somos presenteados com uma entrevista com a Kiera Cass, uma lista com o nome das 35 selecionadas, as árvores genealógicas de Aspen, America e Maxon, além das playlists de A seleção e A Elite.Os contos nos dão uma visão diferenciada dos acontecimentos dos dois primeiros livros, nos mostrando a perspectiva dos personagens masculinos da série e nos deixando cada vez mais ansiosos por A Escolha. A leitura dos contos é tão fluida quanto a dos dois primeiros livros, não vemos o tempo passar com a escrita de Kiera. 

CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: Os dois contos que se passam no universo criado por Kiera Cass, autora da trilogia A Seleção, agora estão disponíveis em edição impressa. Em “O Príncipe e O Guarda”, o leitor pode acompanhar de perto os pensamentos e emoções dos dois homens que lutam pelo amor de America Singer. Antes de America chegar ao palácio, já havia outra garota na vida do príncipe Maxon. O conto O príncipe não só proporciona um vislumbre das reflexões de Maxon nos dias que antecedem a Seleção, como também revela mais um pouco sobre a família real e as dinâmicas internas do palácio. Descobrimos como era a vida do príncipe antes da competição, suas expectativas e inseguranças, assim como suas primeiras impressões quando as trinta e cinco garotas chegam. Para America, a vida antes da Seleção também era muito diferente. A começar pelo fato de que ela estava completamente apaixonada por um garoto chamado Aspen Leger. Criado como um Seis, ele nunca imaginou que acabaria se tornando membro da guarda do palácio. Em O guarda, acompanhamos Aspen a partir do momento que o grupo de trinta e cinco garotas da Seleção é reduzido para a Elite, conhecemos sua rotina dentro das paredes da casa da família real — e as verdades sobre esse mundo que America nunca chegou a conhecer. Leitura indispensável para os fãs de A Seleção, esta antologia inclui, ainda, um final estendido do conto O Príncipe; conteúdos extras exclusivos, como uma entrevista com a autora e dados inéditos sobre os personagens; além dos três primeiros capítulos de A escolha, o aguardado desfecho da trilogia, que será lançado em maio de 2014.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Resenha: Mar da Tranquilidade - Katja Millay

Título Original: The Sea Of Tranquility
Autor: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Gênero: Romance, Ficção
País: EUA
Onde comprar: SaraivaSubmarino

"Eu odeio a minha mão esquerda. Odeio olhar para ela. Odeio quando ela trava e treme e me lembra que eu perdi minha identidade. Mas ainda assim olho para ela, porque ela também me lembra que eu vou achar o garoto que tirou tudo o que eu tinha. Vou matar o garoto que me matou, e farei isso com a minha mão esquerda".

Maravilhoso. É a palavra em que penso para descrever esse livro. A história é tão tocante, tão cheia de significados, que me surpreendeu a cada página. Muito obrigada a Mari Siqueira, do Love Lovers por ter me emprestado esse livro, que chega a mudar completamente alguns conceitos.conceitos. Katja tem uma maneira de descrever os acontecimentos de Mar da Tranquilidade de forma tão intensa e ao mesmo tempo tão suave, que nos perdemos no tempo enquanto acompanhamos essa história.

Nastya Kashnikov está no último ano do ensino médio, tem dezessete anos, a história começa com Nastya indo morar com a sua tia Margot em uma cidade pequena. Nastya perdeu a fala, perdeu tudo aquilo que formava sua identidade e por isso resolve afastar-se dos pais e do irmão, afastar-se de tudo aquilo que fora. O motivo que leva Nastya a fazer tas escolhas carrega o livro inteiro e prende o leitor de forma intensa e cativante.

"Até que morrer não é tão ruim assim depois que já aconteceu uma vez. E eu já morri. Não tenho mais medo da morte. Tenho medo de todo o resto".

John também tem dezessete anos e também está no último ano do ensino médio, sua história foi marcada por inúmeras perdas, aos dezessete anos ele está sozinho, todos os membros de sua família morreram de várias formas, cada um deixando em Josh a marca da dor e da perda.

As histórias de Nastya e Josh se entrelaçam de forma suave e complicada ao mesmo tempo. Os dois estão danificados, cada um a sua maneira e se completam de forma única. A narrativa intercala-se entre Nastya e Josh. E através dos pontos de vista dos dois, percebemos suas personalidades, suas características, não há como confundir. Já no primeiro capítulo percebemos a alternância entre os personagens.

"A luz do dia não nos protege de nada. Coisas ruins acontecem a qualquer momento. Não esperam até depois do jantar".

Os personagens são extremamente complexos, mesmo os personagens secundários, como Drew e sua família, tem suas complicações, seus "demônios". Não há bem ou mal, o livro nos retrata a realidade, as motivações para as atitudes de cada personagem e nos faz refletir sobre as motivações dos nossos atos.

" A voz da minha mãe. É a primeira coisa de que me lembro depois de abrir os olhos. Minha menina linda. Você voltou para nós. Mas ela estava enganada".

O silêncio da personagem Nastya grita seus medos, suas atitudes incompreensíveis. A carpintaria de Josh, arte que aprendeu com o pai, nos mostra que o que é feio, danificado, indigno de atenção, como um pedaço de madeira, pode transformar-se em algo lindo.Cada aspecto, cada detalhe da história tem o seu significado, cada parte tem importância para o todo da narrativa e a autora entrelaça todos os acontecimentos com uma última frase de deixar qualquer leitor sem fôlego. Um livro inquietante, intenso e muito bom!

CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.
A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Resenha: Não se apega não - Isabela Freitas

Autor: Isabela Freitas
Editora: Intrinseca
Páginas: 254
Gênero: Autoajuda
País: Brasil
Onde comprar:SaraivaSubmarino
Blog da autora: Isabela Freitas


É com muita tristeza, que venho escrever a primeira resenha negativa do blog e fazer uma confissão, não consegui terminar de ler esse livro. Eu tentei, tentei, virei, revirei, dei um tempo e voltei, mas não deu. Perdoe-me a minha cara amiga Ariana Silva, do Ária Books que me emprestou o livro com tanto carinho, muito obrigada mesmo. Mas talvez eu não estivesse, como dizem por ai, na "vibe" para esse tipo de leitura ou só não curta autoajuda.
 
Devo confessar que num primeiro momento a narrativa da Isabela me prendeu, a leitura é fluida e rápida, porém tornou-se maçante para mim, ao longo da história, por conta do seu extremo pessimismo em relação ao amor. E quando digo amor, refiro-me ao amor em si, não ao amor entre casais somente, mas ao amor em qualquer relacionamento.

"Todo mundo que me odeia se dá mal na vida, não que eu faça algo para isso, mas acho que meu anjo da guarda é vingativo".

A história começa com o término bombástico entre Isabela e seu namorado de dois anos, Gustavo. Suas amigas ficam impressionadas por ela querer finalizar um relacionamento, que aos olhos do espectador, parecia perfeito. Mas a Isabela estava infeliz e essa infelicidade percorre o livro, pelo menos até a parte em que consegui ler. 
 
A minha primeira impressão com o título do livro, é de que a Isabela era uma mulher determinada, decidida, feliz com as suas escolhas. Mas ela não consegue ficar sozinha, não tem amor próprio e fico me perguntando como alguém assim, escreve um livro de autoajuda. Acho que é mesmo no sentido literal de autoajuda (ela precisa de ajuda).

"Querido cupido, desejo que você morra atingido pela própria flecha".

A visão tão pessimista da autora em relação ao amor, baseada em seus relacionamentos anteriores, fracassados, me  fizeram rir diversas vezes, porque eu extrema romântica que sou, não conseguiria pensar de forma tão negativa. Confesso que fiquei irritada com a infatilidade da autora/personagem. Como, depois de tantos relacionamentos, ela não aprendeu algo com os seus fracassos?

Bom, fico triste, porque apesar da história ter me decepcionado, a diagramação é lindíssima e devo dizer que para mim, foi a única coisa que chamou a atenção nesse livro. Espero que vocês leiam e discordem!
CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase "você deve encontrar a metade da sua laranja". Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Resenha: Perdendo-me - Cora Carmack


Título Original: Losing It
Autor: Cora Carmack

Editora: Novo Conceito
Páginas: 286
Gênero: Romance Hot
País: EUA

Onde comprar:SaraivaSubmarino


Bliss é uma garota de 22 anos, estudante de Teatro e virgem, não por qualquer voto ou crença religiosa, mas apenas por não ter encontrado o cara certo, nem o momento certo. Já Kelsey,melhor amiga de Bliss,  é o extremo oposto, extrovertida, completamente liberal, tanto que chega a ser levemente promiscua. Kelsey acaba convencendo Bliss de que ela precisa se desfazer do seu atual status de virgem. As duas vão a um bar e Bliss acaba sendo fisgada por um charmoso inglês. Quando achamos que Bliss finalmente perderá sua virgindade, ela vem com a desculpa mais esfarrapada e engraçada que eu já vi e deixa Garrick, o inglês, sozinho e nu em seu quarto.

"Eu estava prestes a fazer sexo. Com um cara que eu acabara de conhecer, sobre quem eu não sabia absolutamente nada. E ele não sabia nada sobre mim...incluindo o fato de que eu era virgem"

O que Bliss não esperava, era deparar-se com Garrick, a frente de sua sala de aula, como seu professor. A partir dai as cenas ficam cada vez mais engraçadas. A personagem Bliss, é tão inocente em alguns aspectos que se torna cômica, me peguei rindo sozinha várias vezes. 

"Era o sol, e ele me segurava em seus braços, me chamava pelo nome, me tocava da testa aos dedos dos pés. Cai no sono, aninhada no céu, nos braços de uma estrela''

Confesso que depois de 50 tons de cinza, criei um certo preconceito com livros hot, porém, Perdendo-me foge completamente do estilo 50 tons de cinza. A narrativa é focada na história em si dos personagens e as cenas hot são sutis, e depois de ler E. L James as considerei leves. Aqueles que como eu, não são muito fãs de literatura erótica por seu vocabulário muitas vezes vulgar, irão se surpreender com a leitura de Perdendo-me. É um romance rápido de ser lido e o Garrick? Não tem como não se apaixonar também. 

CLASSIFICAÇÃO: 

Sinopse: VIRGINDADE. Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o problema é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível com uma noite de sexo casual. Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e... adivinhe quem ela encontra?

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

[TAG] 7 Things


Olá!
A Mariana Siqueira do Love Lovers me marcou na tag 7 Things inspirada na música da Miley Cyrus. Devo confessar que na época Hannah Montana, eu adorava Miley Cyrus. Vamos às minhas respostas:

7 coisas para fazer antes de morrer:

1. Casar
2. Publicar um livro
3. Aprender a andar de bicicleta
4. Ter uma biblioteca
5. Viajar para o exterior
6. Aprender Alemão e Francês
7. Fazer doutorado

7 coisas que eu mais falo:

1. Mano!
2. Aff!
3. Palavrões, muitos palavrões.
4. Cara, tá louco.
5. Amor
6. Se fecha
7. Eu preciso de dinheiro

7 coisas que eu faço bem:

1. Escrever
2. Ler
3. Ter ciúmes
4. Ficar irritada em questão de segundos
5. Cuidar de crianças
6. Falar besteiras
7. Entender inglês

7 coisas que eu não faço bem:

1. Cozinhar
2. Mentir
3. Identificar pessoas pela voz
4. Segurar a emoção
5. Concluir (qualquer coisa)
6. Prestar atenção
7. Rir baixo

7 coisas que me encantam:

1. Amor
2. Livros
3. Escrever
4. Europa
5. Surpresas
6. Crianças
7. Mistérios

7 coisas que não gosto:

1. Mentira
2. Traição
3. Hipocrisia
4. Brasil
5. Clima extremo
6. Falta de originalidade
7. Ter ciúmes

7 coisas que eu aprendi com livros:

1. A culpa é das estrelas.
2. Nunca experimente um feijãozinho de todos os sabores.
3. Veja o lado bom das coisas
4. Você se torna responsável por aquilo que cativas
5. Viva o hoje, pode não haver amanhã
6. Existe amor eterno
7. Seja você